SOMOS, HOJE, OS SERES HUMANOS DE ONTEM E DE AMANHÃ

(História da Filosofia — Coexistência dos períodos mágico, religioso, filosófico e científico no desvendar da vida, do homem e do universo)

Entre tantas definições de filosofia, uma das mais singelas e encantadoramente pragmática: resultante de um somatório entre interrogação, atenção e diálogo. A Filosofia consiste em aprender a fazer as perguntas certas e atentamente aprofundá-las, no exercício de pensar em conjunto.

Da Mitologia à Ciência, da Ciência ao Teocentrismo, do Teocentrismo ao Antropocentrismo, do Antropocentrismo ao Logocentrismo… sempre estivemos envoltos pelo assombro que é a Vida.

Decorrente do exercício contemplativo, o assombro nos impulsiona a elucidar o mistério que reside em nós mesmos e no meio circundante. É elo capaz de promover resgates históricos contínuos, menos fragmentados.

A ânsia por desvelar tantos segredos requer atenção máxima, tanto as perguntas lançadas quanto as respostas colhidas ao longo da história. Aí a necessidade de alargarmos nosso alcance perceptivo, abraçando conceitos em constante formação, resultantes do diálogo entre os períodos mágico, religioso, filosófico e científico.

Tal qual rede neural, os períodos se interpenetram. Jamais haverá sinapse sem ruptura de barreiras, ainda que imaginárias. É imprescindível a troca de lentes de observação de mundo para que os sensos de conexão se estabeleçam. Assim seremos capazes de validar cada experiência e de nos aproximarmos do que nos cabe, como ponta de lança posta em movimento há milhares e milhares de anos…

Libertos das amarras de nosso tempo mergulhamos livremente nas dicotomias e vicissitudes de cada época, buscamos uma compreensão mais fidedigna da visão de mundo e ser humano que possuíam.

Despidos de preconceitos e vestidos de humanidade, com o olhar filosófico aguçado — inclusivo, espiralado e em constante movimento — constatamos que os períodos da história da filosofia sempre coexistiram, já que respeitadas as naturezas distintas de indivíduos e os desafios enfrentados, todas as épocas fizeram, a seu modo: arte, ciência, política e religião.

Estas quatro macro faces, correlacionadas pelo viés filosófico que as anima, integra e movimenta é prova cabal da pegada de consciência que deixamos registrada no planeta Terra. Analisando-a detectamos o nível de coerência no presente e ao longo da história. E nos deparamos com uma verdade bastante instigante: estudos comparados revelam as semelhanças como maiores e mais significativas que as diferenças entre épocas e culturas.

As probabilidades desse mergulho?!… Percepção e consciência ampliadas… Autossuficiência e interdependência equilibradas… Assertividade e corresponsabilidade promovidas… Humano renascido e potencializado!

SOMOS, HOJE, OS SERES HUMANOS DE ONTEM E DE AMANHÃ.

--

--

Filósofa Clínica, Pesquisadora, Educadora, Mobilizadora Social e Empresarial / Instituto ORIOR — Resgate Filosófico, Transdisciplinaridade e Sustentabilidade.

Love podcasts or audiobooks? Learn on the go with our new app.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store
Ana Rita de Calazans Perine

Ana Rita de Calazans Perine

Filósofa Clínica, Pesquisadora, Educadora, Mobilizadora Social e Empresarial / Instituto ORIOR — Resgate Filosófico, Transdisciplinaridade e Sustentabilidade.