EM QUAL OCUPAÇÃO NOS PERDEMOS…

Depois de compromissos vencidos e de um bom almoço, estávamos próximo do Palácio das Artes (Belo Horizonte / MG), resolvemos conferir a programação da Fundação Clóvis Salgado... Adquirimos os ingressos para o Concerto de amanhã a noite e assistimos a Mostra Clássicas do Cine Humberto Mauro.

Sempre foi motivo de alegria ver os espaços ocupados gratuitamente pela população. Faz bem descortinar novos mundos, seja como pausa nas agruras cotidianas ou simples fuga do sol, chuva, cansaço...

Mas nem tudo é belo no horizonte… A mistura só tem sentido se humanizada, só assim para poder ser assimilada!

Nos primeiros instantes em que nos acomodamos na sala, já de luzes apagadas, eu e minha mãe nos preocupamos em não atrapalhar o público presente. Na sequência, por instantes não tão breves, lutei contra o incômodo que senti do ronco próximo e de odores corporais acusando necessidade de banho. A humanidade se mostra em facetas, ocupa espaços aparando ou avolumando arestas...

Agora, a mim nada perturba tanto quanto a falta de trato humano, nada! No final da sessão, deliciosa, tão logo finda os caracteres, um funcionário nos interpela abruptamente, nos expulsando do cinema, sem ponderar se estaríamos com algum problema de mobilidade ou simplesmente concluindo uma sentença.

Quando por mim alertado que deveria se dirigir ao público com a educação que todos merecemos, percebi um certo desconcerto em meio a truculência confessa. Não soube discernir entre poltronas e pessoas, nem mesmo entre ele e nós...

Optou por se esconder no crachá que trazia ao peito. Outros se escudam em grifes, perfumes e cartões de crédito. Triste é o fim de quem cumpre papéis de forma automática e irreflexa, sem se perceber agente de toda a gente.

Eu, que tanto defendo e ponho fé no humano, tenho feito um esforço hercúleo para não me tornar cética de carteirinha... O projeto tem mostrado fissuras, que a Fundação seja sólida o suficiente para suportar os imprescindíveis e urgentes reparos...

Filósofa Clínica, Pesquisadora, Educadora, Mobilizadora Social e Empresarial / Instituto ORIOR — Resgate Filosófico, Transdisciplinaridade e Sustentabilidade.