Talvez fosse tarefa mais confortável tratar da temática alicerçada em alguns papéis existenciais que visto corriqueiramente e me permitem ampliar movimentos sem grandes apertos: a pesquisadora, a filósofa, a terapeuta… Se por um lado neles me acompanha o enraizamento protetor e fronteiriço das teorias aplicadas, por outro me afastam da abertura necessária para expansão perceptiva plástica que brota do livre circular e faz de mim representante singular do humano feminino mulher: meu lugar de experiência, de escuta e de fala.

Há muito percebo a ironia contida na nossa maior facilidade em despir corpos do que desnudar almas e ideias. Justo…

Esta sentença tem em mim ecoado nos últimos dias com maior força, não que seja dada a teorias conspiratórias, mas porque a exaustão me acompanha. Caminha ao meu lado o incômodo do enfaro. O fastio tem brotado do monitoramento desapaixonado (não sem muito esforço) dos movimentos políticos deste conturbado cenário nacional, onde, perdoem-me a universalização da expressão, mas o momento requer: pastamos demais e ruminamos de menos.

A arte da ponderação anda engessada. …

SALVE O 15 DE OUTUBRO!

Ramón, um dos grandes presentes que recebi nesta vida, completa 17 anos neste 15 de Outubro de 2020. Quando ele nasceu, em pleno Dia do Professor, o desafio do novo papel existencial (ser Mãe) se materializava definitivamente: que saibamos sempre aprender um com o outro.

Para mim o ser mãe (arquetípico) envolve a educação amorosa e atenta, o preparo para a vida. Crescer junto, trocar experiências, apontar direções e caminhos que, limitando fronteiras, oportunizem a plena expansão dos filhos e a possibilidade de serem (as fronteiras) constantemente dilatadas. Como nos lembra a poesia de Gibran…

(Aqueles que não estão entre nós, que saibamos trazê-los vivos na memória. Meus sentimentos as famílias, aos amigos e as cidades)

Em alguns momentos sinto como se a alma de Gramado tivesse sido raptada… O que anima uma comunidade e possibilita transcender de maneira sustentável limites, de territórios e de ideias?! Suas raízes.

Sustentável vem de sustentar: apoiar, evitar a queda. E muitos tem tombado diante de nós… Gramado se orgulha com justiça de sua beleza, mas em alguns momentos tenho sentido falta até mesmo dela…

Estética, como beleza nas formas, precisa se fazer acompanhar de Ética, beleza no conteúdo…

O SILENCIAMENTO DAS MULHERES

O universo sabe pregar peças... Em meio a Pandemia Covid-19, gratas surpresas: o distanciamento social nos faz estar juntos. O meu nome foi lembrado para participar de uma live com o tema que dá nome ao artigo. Recebi o convite após abrir arquivo que tratava da ancestralidade feminina, a cura advinda do poder das mulheres que nos cercam... Impossível deixar de sorrir. Agora é entrar na brincadeira...

Antes de estabelecer meu lugar de fala, registro que o tema mexe com minhas entranhas. Sinto brotar com uma força avassaladora toda vez que, como mulher, detecto o intuito…

Nos últimos meses o mundo tem sido sacudido pela pandemia da COVID-19. Nunca um redesenho de nossa trajetória se mostrou tão premente: a civilização requer outros níveis de vínculo, princípios estruturantes que respeitem as individualidades e o seu papel singular na construção do coletivo humanidade.

Constrange a atualidade de Platão, em “A República” e “As Leis”, ao traçar as linhas gerais da sociopolítica, estabelecendo os conceitos e as diretrizes do Indivíduo, da Sociedade e do Estado. Um tripé coeso, simbiótico e interdependente:

Indivíduo — O que não pode ser dividido. Só o é quando pensado como unidade. Dois caminhos existiriam…

EM QUAL OCUPAÇÃO NOS PERDEMOS…

Depois de compromissos vencidos e de um bom almoço, estávamos próximo do Palácio das Artes (Belo Horizonte / MG), resolvemos conferir a programação da Fundação Clóvis Salgado... Adquirimos os ingressos para o Concerto de amanhã a noite e assistimos a Mostra Clássicas do Cine Humberto Mauro.

Sempre foi motivo de alegria ver os espaços ocupados gratuitamente pela população. Faz bem descortinar novos mundos, seja como pausa nas agruras cotidianas ou simples fuga do sol, chuva, cansaço...

Mas nem tudo é belo no horizonte… A mistura só tem sentido se humanizada, só assim para poder ser…

CARNAVAIS...

Nessa época do ano, como de costume, a turma se divide entre os que gostam e os que não gostam de carnaval. Quem dera fosse essa nossa única divisão... O lúdico faz falta na vida da gente! Onda que se propaga consciente de sua fala, ecoa de forma leve e aglutinadora na força do grupo. A utopia marca presença, injeta ânimo, preserva e impulsiona sonhos... Então vai, brinca, brilha! Se quiser ou não puder, fica! Mas não deixe de perceber que é parte de nossa cultura que sai as ruas, avenidas e salões... E o melhor dela todos trazemos…

DEPENDÊNCIA, ESTADO E LIBERDADE

Amanheci conferindo rapidamente as redes sociais e demoradamente debates em alguns Grupos. Sim, pasmem, diálogos salutares acontecem, ainda que em ar tão rarefeito e pouco dado a pesquisa, respeito, generosidade e distanciamento crítico quanto o nosso. Resultado: oxigênio precioso e fonte de muito aprendizado.

Um dos Grupos de Filosofia Clínica de que participo, através de um vídeo de Gregorio Duvivier sobre Comunidades Terapêuticas (https://youtu.be/vdIfP6-urIg), reacendeu o debate sobre drogas, trato de dependentes químicos, loucura, omissão do Estado e real capacidade de vestirmos a pele do outro.

Muitas ponderações pipocaram (devidamente referendadas para aprofundamento), assim como troca…

Sabem aqueles dias de inquietude das bravas?! Pois é, amanheci assim… Tem momentos em que nem a gente consegue ser muito boa companhia para gente mesmo, que dirá para os outros. Aguardei tremendamente bem intencionada meu filho adolescente chegar do Colégio, sairíamos para almoçar juntos! Quem sabe um restaurante novo, sair da mesmice da comidinha de casa ou dos já velhos conhecidos restaurantes da cidade. O mal humor e preguiça com que chegou me deu vontade de me dependurar no pescoço dele e ver mudar de cor. Dependurar literalmente, pois a criatura está muito maior que eu. Como assim, chegar…

Ana Rita de Calazans Perine

Artes, Ciências e Humanidades - Dinamismo e Incertezas - Filosofia e Espiritualidade - Cidadania

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store